Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias › Educação


Setembro Amarelo: uma oportunidade para prevenção do suicídio

Por: Henrique Nascimento 19/09/2017 - 14:34 - Atualizado em: 20/09/2017 - 08:45
Prevenção ao suicídio
Prevenção ao suicídio
A taxa de mortalidade por suicídio no Brasil é de 6 a 7 mortes a cada 100 mil pessoas. Apesar dos dados apresentados pelo CVV (Centro de Valorização da Vida) serem menores que a média mundial, é preocupante pensar que esses números têm crescido no Brasil, enquanto a média mundial se mantém estável. Muito mais que dados, esses números representam vidas. 
 
Para valorizar a vida e conscientizar a sociedade a respeito do suicídio, o mês de setembro se tornou o Setembro Amarelo. Introduzida no Brasil pelo CVV, o Conselho Federal de Medicina e a Associação Brasileira de Psiquiatria, a campanha do Setembro Amarelo ocorre durante todo o mês com ações que buscam prevenir o suicídio e incentivar a busca por médicos especializados. A escolha do mês foi feita porque 10 de setembro é data mundial de prevenção ao suicídio.
 

É preciso falar sobre suicídio

Deyseane Lima, psicóloga clínica, professora universitária e doutora em Educação, afirma que ainda há a necessidade de construção de espaços para refletir sobre o suicídio. Segundo ela, o tema é enfatizado neste mês, mas precisa ser debatido durante todo o ano. “Precisamos dialogar sobre o suicídio na família, na escola, nas organizações, na mídia, entre outros”.
 
O suicídio ainda é considerado um tabu social. Os dados a respeito das mortes ocorridas podem ser ainda maiores, visto que alguns casos são omitidos das certidões de óbito por preconceito com o tema. É importante lembrar que, como dito por Deyseane, “a pessoa que comete suicídio não deseja acabar com a sua vida, mas sim eliminar o seu sofrimento. Recomenda-se para a pessoa com pensamentos e/ou tentativas de suicídio a avaliação psiquiátrica, o atendimento psicológico e o acompanhamento familiar”. 
 

Como prevenir?

Quem planeja o suicídio costuma dar sinais de que irá fazê-lo, como: frases de alarme, sinais de depressão e mudanças drásticas de humor. Através dessas e outras características comportamentais é possível direcionar a pessoa a um tratamento médico especializado. 
 
Além disso também existem serviços como o oferecido pelo CVV. Através do número 141, pessoas que estão passando por momentos dolorosos podem entrar em contato com voluntários que poderão ajudar. O serviço também está disponível por e-mail, Skype ou chat no site da organização.
 
Outra forma de ajudar na prevenção do suicídio é participando de campanhas. O Setembro Amarelo, por exemplo, disponibiliza em seu site oficial materiais que podem ser impressos e divulgados. Também é possível participar da campanha utilizado ítens da cor amarela ou ajudando monumentos de sua cidade a serem iluminados com essa cor.
 

Suicídio, mídia e prevenção

O tema suicídio ganhou destaque no início deste ano após o lançamento da série 13 Reasons Why e posteriormente com os casos do desafio da Baleia Azul. Para falar sobre esses dois assuntos, Deyseane Lima estará com a, também psicóloga, Selena Mesquita no II Congresso Multidisciplinar de Saúde que ocorrerá do dia 21 ao dia 23 de setembro em Fortaleza. Durante a conferência, será tratado desde a concepção atual do suicídio, até o papel da mídia na construção dos adoecimentos e nas estratégias de prevenção e tratamento.
 

13 Reasons Why - Uma via de mão dupla

A psicóloga Deyseane Lima relata que, após ter assistido à 13 Reasons Why, a percebe de duas formas. “Por um lado, [a série] apresenta reflexões sobre a complexidade do suicídio e do adoecimento mental na constituição das adolescências. A série possibilitou o posicionamento crítico dos profissionais e estudantes da área da saúde sobre os diversos assuntos apresentados e o interesse do tema pela sociedade. Por outro lado, ela aborda uma visão romantizada do suicídio, pois apresenta a culpabilização dos colegas da adolescente e a glorificação do suicídio”. Por conta disso, ela acredita que é preciso ter uma conversa aberta a respeito do tema sem perder de vista o cuidado necessário no tratamento do assunto. 
 

Tem interesse em participar da conferência sobre suicídio? Inscreva-se no II Congresso Multidisciplinar de Saúde.

 

Comentários