Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias › Educação


Seminário discute práticas inclusivas para comunidade surda

Programação contará com palestras e apresentações culturais traduzidas por intérpretes de Libras
Assessoria de Comunicação Por: 17/09/2019 - 14:57
Surdos
A maior parte dos convidados são surdos e ministrarão palestras em libras, com tradução para voz (em português)
por Giovanna Souza
 
A Faculdade UNINASSAU Piedade realiza um seminário em alusão ao Dia Nacional dos Surdos. O evento acontecerá no auditório da unidade, nos dias 25 e 26 de setembro. A entrada é gratuita e, para participar, os interessados deverão se inscrever por meio do site de extensão da UNINASSAU
 
A programação contará com palestras e apresentações culturais. As atividades acontecerão nos turnos da manhã e da noite. Durante o evento, serão abordados temas como a autonomia dos surdos nos esportes e a cultura e identidade surda. Entre os presentes, estarão a Orquestra “Sons do Silêncio”, composta por musicistas surdos e o atleta paraolímpico de Badminton, Leonardo Manoel.  
 
Entre os demais palestrantes estão o professor substituto de Libras da UFPE, Alessandro Vasconcelos, o tradutor/intérprete de libras no IFPE, Carlos Di Oliveira, a estudante de Letras/Libras da UFPE e artista plástica surda, Kilma Coutinho, o professor de Libras na Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes, Amauri Floriano, entre outros. 
 
O professor de Libras da UNINASSAU, Leonardo Neves, também palestrante, falou sobre a importância do evento. “Queremos mostrar que o surdo possui autonomia e que sua deficiência não o limita. A única coisa que os diferencia, e vem para somar, é possuir uma língua e cultura própria”, ressalta. 
 
O Setembro Azul busca conscientizar e dar mais visibilidade à comunidade surda brasileira. A campanha tem como objetivo gerar reflexão sobre os direitos e a inclusão dos cidadãos surdos. 
 
O mês de setembro foi escolhido por hospedar datas como o Dia Nacional e Internacional dos Surdos e o Dia Mundial da Língua de Sinais. A cor azul foi escolhida por remeter à Segunda Guerra Mundial, onde Hitler marcava as pessoas com deficiência com uma faixa azul amarrada ao braço – era um símbolo da incompatibilidade das pessoas com deficiência com a “raça pura”. Atualmente, a cor foi escolhida pela comunidade surda para simbolizar suas lutas e conquistas. 
 
A maior parte dos convidados são surdos e ministrarão palestras em libras. O evento contará com tradução simultânea de libras para voz (em português). 
 
Serviço 
Seminário Setembro Azul 
Onde: Faculdade UNINASSAU Piedade - R. José Braz Moscow, 252 - Piedade, Jaboatão dos Guararapes/PE 
Quando: 25 e 26 de setembro
Horário: 8h às 12h e 18h às 21h30 (150 vagas em cada turno)

Comentários