Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias › Educação


Seja saudável sem gastar muito

Conheça a nutrição que cabe no seu bolso
Por: Henrique Nascimento 29/08/2017 - 11:29 - Atualizado em: 30/08/2017 - 08:29
Saiba como ser saudável sem deixar de economizar
Saiba como ser saudável sem deixar de economizar

A busca por uma alimentação saudável tem aumentado. De acordo com uma pesquisa do instituto Datafolha divulgada em 2016, mais da metade (56%) dos proprietários de bares, restaurantes, lanchonetes e padarias consultados afirmam que perceberam que a procura por refeições saudáveis aumentou entre seus clientes. 63% dos entrevistados notaram um aumento na busca por verduras e legumes e 65% certificam uma maior procura de sucos naturais.

Os que desejam mudar os hábitos alimentares podem buscar um nutricionista para ter uma indicação de dieta adequada. No entanto, existe uma preocupação com o preço dos alimentos que compõem a dieta. Por conta disso, saiba o que você deve deixar claro durante a consulta para ter a dieta que cabe no seu bolso.

Atendimento humanizado

Na área de saúde um dos aspectos que vem sendo cada vez mais difundido é o de atendimento humanizado. Esse tipo de atendimento visa compreender o paciente como um todo, considerando seu estado psicológico e físico, e não o tratando apenas como um cliente. Profissionais que adotam esse modelo de serviço procuram entender não só o problema do paciente, mas como aquilo o afeta em todas as áreas.

A área de Nutrição, segundo Renata Adrielli, nutricionista e professora de Nutrição da UNINASSAU, sempre foi uma das área mais humanizadas da Saúde. “Para fazer uma dieta, um plano alimentar para o paciente é preciso saber muito da rotina dele. [...] Até porque, a alimentação não é só o fato de comer. Eu estou com várias coisas ali relacionadas. Então, a antropologia e sociologia também entram muito na nutrição”, afirma Renata.

O habitual, portanto, é que em toda consulta o nutricionista respeite os fatores culturais, econômicos e sociais. Para ajudar, o paciente também pode deixar claro ao profissional alguns aspectos que podem contribuir na construção da dieta. Confira!

Dieta que cabe no seu bolso
Durante a consulta é preciso que o nutricionista procure entender, como dito anteriormente, qual a situação econômica do paciente para indicar alimentos que ele possa comprar. “Eu posso ter aquele paciente que tem acesso ao arroz e o feijão clássico e a gente tem que de alguma forma elaborar esse plano para que se adeque a realidade financeira dele”, aponta a nutricionista.

Você não precisa levar o contracheque para mostrar ao profissional de Nutrição, mas pode durante a conversa deixar claro que não possui tanto dinheiro para investir em sua alimentação no momento. Isso não é vergonha, na verdade, é um auxílio tanto para o nutricionista quanto para suas despesas.

“Não adianta eu pedir para ele comprar um módulo proteico se ele não tem condições para aquilo. Eu tenho que arranjar um outro alimento para que ele possa substituir. Por exemplo o ovo que é um alimento barato que tem um conteúdo proteico de qualidade elevada”, exemplifica Renata.

Nutrição consciente
Segundo a professora é preciso também considerar os hábitos alimentares do paciente antes da consulta para elaborar o plano alimentar. Nesse sentido alimentos que o paciente não consome podem sair do plano.  Atenção! Isso não é desculpa para só comer o que gosta e não experimentar as novas sugestões do profissional de saúde. O nutricionista tem o dever de respeitar os alimentos que não são consumidos por questões culturais e religiosas, não os que você simplesmente não provou e não quer provar.

Lembre-se: o profissional de nutrição te indica aquilo que fará bem para sua saúde. O esforço para mudar e experimentar coisas novas precisa ser feito. Existe uma corresponsabilidade entre o nutricionista e o paciente na elaboração e execução do plano alimentar.

Sua rotina, regras adaptadas
O profissional de saúde deve adaptar a dieta ao horário do paciente. Renata Adrielle destaca que “de fato, a gente [os nutricionistas] precisa saber disso para depois montar algumas estratégias para manter isso dentro de um hábito que ele [o paciente] já tem”. Nem todas as pessoas conseguem fazer seis refeições ao dia a cada três horas. Então, o nutricionista precisa programar as refeições para o período que melhor se encaixe na sua rotina, seja de trabalho ou estudos. Inclusive, já falamos aqui como você pode ter uma boa alimentação no ambiente de trabalho.

Tem alguma dúvida a respeito da consulta com o profissional de nutrição? Deixe nos comentários.

Comentários