Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias › Educação


Nutrição e veganismo

Profissionais da nutrição têm papel fundamental para saúde e bem-estar dos veganos
Assessoria de Comunicação Por: Ruda Braga 29/08/2018 - 14:12 - Atualizado em: 31/08/2018 - 10:18
A preocupação com a qualidade de vida é uma realidade entre os brasileiros. A expressão está em alta no século XXI e vem sendo o mantra daqueles que buscam o bem-estar por meio de hábitos mais saudáveis. A prática de exercícios físicos em academias de musculação, artes marciais e boxes de Crossfit estão cada vez mais populares. Além disso, as pessoas também buscam se desligar do trabalho nos finais de semana, priorizando momentos de lazer com a família e amigos. No meio desse processo, existem aqueles que preferem não comer determinados alimentos e levam uma dieta com restrições alimentares por opção, como veganos e vegetarianos. Independente do grupo, o cuidado com a alimentação vem sendo peça fundamental para quem deseja alcançar metas, sejam elas estéticas ou ideológicas e dentro deste contexto está o trabalho do nutricionista.
 
A exclusão de carne e alimentos de origem animal é uma prática do veganismo, uma dieta que está cada vez mais virando tendência entre as pessoas no mundo. No entanto, é importante não confundir gregos e troianos, pois veganos e vegetarianos são duas coisas distintas. Os vegetarianos não se alimentam de carne, mas consomem produtos advindos de animais, como ovo e laticínios.  Além da busca por uma vida mais saudável, os adeptos ao veganismo também optaram por não comprar bolsas, roupas e outros produtos de origem animal. Alguns famosos, como Miley Cyrus, Isabelle Drummond, Anne Hathaway e Stevie Wonder são declaradamente veganos. 
 
 
Veganos crescem de número no país
 
Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), em 2012, revelou que 8% da população brasileira se declarou vegetariana ou vegana, ou seja, mais de 15 milhões de pessoas. A pesquisa reflete no mercado, com o crescimento de produtos destinados ao segmento. Nos dias atuais, é muito comum ver espaços dedicados ao comercio desses alimentos, além do aumento de restaurantes e lojas específicas. 
 
A estudante de Gastronomia, Evelyn Santos, adotou a prática depois de conhecer mais sobre a indústria de alimentos. "Eu tenho dois bichos de estimação e gosto muito de animais no geral, por conta disso, passei a questionar a indústria da carne e comecei a me informar. Depois que descobri como o comercio alimentício explora os animais, passei a ser mais crítica com o que consumo. Como eu posso cuidar dos meus e contribuir para a morte de outros? Para mim não faz sentido", explica. 
 
Depois de adotar o veganismo por um tempo, a estudante decidiu ir em um nutricionista. "Decidi buscar a ajuda do profissional para saber se estava fazendo tudo certo e de fato a nutri mexeu em pouca coisa da minha dieta", afirmou Evelyn. Ainda segundo ela, os benefícios da dieta foram sentidos quase que imediatamente." A mudança no nosso corpo é quase instantânea. Eu me sinto mais disposta, mais leve e com a pele melhor. O meu marido também adotou a dieta e se sente muito bem, ele corre maratona e faz várias atividades físicas", completa.   
 
Todavia, é importante estar atento na hora de cortar alimentos que podem ser fundamentais para o corpo e, para isso, o acompanhamento de um nutricionista é imprescindível. "A dieta vegana necessita de uma atenção especial", afirma o profissional da área, especializado em Nutrição Esportiva, Roberto Filho. 
 
Segundo ele, alguns nutrientes devem estar obrigatoriamente no cardápio dos veganos. "O ferro, a vitamina B12 e algumas proteínas são nutrientes importantes que são limitados nesse tipo de dieta. O profissional de nutrição deve oferecer opções de alimentos e suplementação para esses pacientes", frisa. 
 
 
 
Além do Veganismo: a importância do nutricionista na qualidade de vida
 
O profissional da nutrição estuda os alimentos e entende de suas características e funcionalidades orgânicas, ele elabora cardápios e auxilia no seu consumo, além de criar receitas que respeitam a fisiologia e necessidade dos pacientes. Os nutricionistas estão presentes nas cozinhas de vários restaurantes, hospitais e empresas do ramo alimentício. Eles também ajudam atletas profissionais e amadores a baterem o peso necessário para competir, auxiliam na alimentação de pessoas doentes e dos idosos. Porém, engana-se quem pensa que os nutricionistas são responsáveis apenas na perda de peso ou controle de taxas. A alimentação saudável é fundamental para a prevenção de doenças e, por isso, o acompanhamento de um nutricionista desde a juventude é muito importante para qualquer pessoa. Apesar disso, muitas pessoas buscam conhecimentos em outras fontes.
Segundo Roberto Filho, o principal desafio do profissional de nutrição é fazer a triagem das informações para repassar para aos pacientes. "Hoje em dia o acesso a informação é muito alto, as pessoas recebem uma verdadeira chuva de conteúdo de todas as partes, nosso trabalho é organizar essas informações e repassar de uma maneira prática e eficaz para todos", afirmou.
 
 
 
Busca pela internet
 
Uma pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) revelou que 40% dos entrevistados buscam informações sobre alimentação na internet, 24% usam a televisão como fonte e apenas 18% procuram médicos e nutricionistas. O dado revela que os usuários estão buscando conhecimento sozinhos e que os influenciadores digitais ganharam bastante espaço no mercado em geral. 
 
Hoje em dia é muito comum procurar nutricionistas pela internet, por meio das redes sociais. No entanto, os usuários devem ter cuidado onde buscam as informações na internet e pesquisar sobre o perfil que passa informações nas redes sociais. Saber se influenciador é formado e se de fato ele tem autoridade para passar informações. 
  
 
Se interessou pelo assunto? Confira o curso de Nutrição da UNINASSAU.
 
 
 
 
 
 
 
 

Comentários