Clicky

Selecione a cidade
0800 281 9999

Notícias › Educação


Médico veterinário: a profissão que também salva vidas

Conheça mais sobre essa importante e requisitada profissão
Por: 09/09/2020 - 08:42
No imaginário popular, profissionais que atuam como médicos, bombeiros e policiais são diretamente associados aos heróis. Nada mais justo porque, de fato, são profissões fundamentais para o bem-estar da sociedade. No entanto, um profissional em específico fica um tanto esquecido nesse cenário: o médico veterinário. Essencial para manter a saúde dos animais - tanto domésticos, quanto selvagens -, o veterinário salva vidas na mesma frequência que as outras funções citadas. Por isso, com o objetivo de dar mais visibilidade à classe, nesta quarta-feira (9) é celebrado o Dia do Médico Veterinário.
 
E a questão de salvar vidas não é mera hipérbole e muito menos tem hora para acontecer. Carlos Leal é médico veterinário e doutor em ciência animal tropical. Em vários anos de atuação, ele coleciona histórias de heroísmo. Uma delas é o socorro ao cachorro de um familiar de sua esposa, em plena madrugada. "O pessoal viajou e deixou o cão em casa, porque não tinha como levar. Deixaram ração e água no quintal separados, para mantê-lo alimentado. No entanto, uma pessoa voltou mais cedo e encontrou o cão bem apático, abatido, irreconhecível", conta o profissional.
 
Diante do cenário, o familiar ligou para Carlos e pediu ajuda. Mesmo de madrugada, o médico saiu de sua residência e foi prestar socorro ao animalzinho. "Quando cheguei lá, verifiquei que o animal estava febril e postado na lateral da casa, com ração e resto de comida espalhados na área, o que poderia ter atraído roedores. Ele estava bem mal", relembra.
 
"Na hora, fiz o procedimento básico, que dava para fazer. Com isso, entrei com um procedimento medicamentoso, com antibiótico. Era o que dava para fazer no momento. Orientei e pedi para continuar o tratamento. Indiquei que, caso não houvesse uma melhora, fosse procurada uma clínica para internação na manhã seguinte", relata o veterinário.
 
Porém, a indicação de Carlos não foi necessária. Seu atendimento de urgência salvou a vida do cãozinho e, já no outro dia, ele estava melhor e interagindo com seus donos. Um susto e tanto que, poderia uma final distinto, caso o profissional não fosse acionado imediatamente. Com orgulho, Carlos lembra da atuação. "O animalzinho está vivo até hoje. Um senhorzinho, claro, porque aconteceu há muito tempo. Mas, ele vive com uma boa saúde e bem de vida", afirma.
 
A "olhadinha" e a desvalorização da profissão
 
Apesar de se sentir orgulhoso da profissão que escolheu e reconhecer a importância da mesma, Cláudio alega que há uma certa desvalorização da sociedade para com a função. Segundo ele, tal fenômeno pode ser observado em uma prática chamada "olhadinha". A olhadinha é nada mais, nada menos, que uma consulta não remunerada. "Sempre acontece. Parentes, amigos e até terceiros mesmo", comenta o médico veterinário.
 
Juliana Maria, estudante de veterinária, não se formou, mas já convive com os pedidos de "olhadinha" e até brincou, quando contactada pela produção do site: "o que tem com seu cachorro?". Tendo a medicina veterinária como um sonho de criança e depois uma oportunidade de mercado, ela afirma que pretende seguir carreira na área, apesar das dificuldades.
 
"(Pretendo seguir carreira), apesar de a pandemia ter atrapalhado e adiado as avaliações, processos e afins. O curso é muito bom, e tem suas inúmeras vantagens, mesmo tendo pouco reconhecimento populacional", explica a estudante.
 
Ciente de todas as dificuldades que estão por vir na vida de um estudante de medicina veterinária, Carlos deixou um recado para Juliana e outros milhares de jovens que fazem o curso no País. "Fácil não é, nunca foi e nunca será para ninguém. Dificuldade todos os dias enfrentamos, em todas as áreas e profissões. Sempre disse aos meus alunos: façam o melhor possível, pois só se destaca na profissão, seja ela qual for, aquele que gosta do que faz. Dinheiro é bom, muito bom e necessário, mas precisa ser consequência da sua capacidade e só dessa forma fará a diferença", destaca o profissional.
 

Comentários