Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias › Educação


Entre o sincretismo, a fé e a filosofia

Saiba como surgiu o Candomblé, o Espiritismo, o Protestantismo e o Catolicismo
Por: Henrique Nascimento 16/01/2018 - 10:46 - Atualizado em: 16/01/2018 - 11:22
Entre o sincretismo, a fé e a filosofia/Freepik
Uma religião está diretamente ligada não só ao local onde são praticados seus rituais (terreiros, igrejas, centros), mas à vida cotidiana do ambiente social de seus praticantes. Sendo assim, não é possível pensar numa origem da religião sem tentar compreender o contexto social em que essa está inserida. Você já teve a curiosidade de entender como surgiram algumas religiões? Se a sua resposta for positiva, pode ficar tranquilo que durante toda a semana nós estaremos trazendo essa e outras informações sobre o Candomblé, o Espiritismo, o Protestantismo e o Catolicismo. Confira!
 

Candomblé - Ancestralidade e resistência

Trazido para o Brasil pelos negros raptados da África no período escravocrata (1530-1888), o Candomblé tem como sua maior divindade Olodumare, senhor do universo, e os demais orixás como seus auxiliares. Em nosso país, a religião passou por adaptações, “uma vez que as condições da escravidão não permitiam a realização dos cultos nos moldes do continente africano. Então, o que nós temos no Brasil é uma religião específica brasileira que tem como origem as religiões de matriz africana”, explica Denise Botelho, Ialorixá e professora universitária.
 
O Candomblé é dividido em diferentes tipos de expressões, a depender da região de origem no continente africano e da forma que se integrou à cultura brasileira. São alguns exemplos: o Candomblé Nagô, muito praticado no Recife; Candomblé da Nação Ketu, com grande influência no eixo São Paulo/Rio de Janeiro e em Salvador; Candomblé de Angola; Candomblé Fon e o Candomblé de Nação Xambá. Entre cada uma dessas expressões o diferencial pode se encontrar na linguagem, na forma que se referem aos orixás, nas cantigas entoadas, nos rituais e nos hábitos. 

Espiritismo - Revelação e organização de ensinamentos de seres elevados

Na Europa do século XIX, um fenômeno conhecido como mesas girantes tomou a atenção de várias pessoas. “Coube a um homem chamado professor Rivail a responsabilidade de se interessar pelo fenômeno e organizar aquilo que ele estava assistindo, aquelas comunicações estranhas, aqueles seres que estavam trazendo respostas profundas através das mesas que batiam as letras do alfabeto”, informa Frederico Menezes, espírita e palestrante. 
 
O professor Rivail posteriormente iria ser nomeado como Allan Kardec, que, em uma de suas oportunidades com esses seres, perguntou quem eles eram, obtendo como resposta que eram as almas dos homens que habitaram a Terra. Após três anos de estudo, em 1857, Kardec lançou a primeira versão do livro dos espíritos com 501 questões e, em 1869, ele divulgou a segunda edição, que é divulgada até hoje, com 1019 questões. Então, como coloca Frederico Menezes, “o Espiritismo é a doutrina que Allan Kardec codificou e organizou os ensinamentos [...] Que, na verdade, trata dos mesmos fenômenos que sempre aconteceram na natureza e na história da humanidade. É a revelação dos princípios da natureza”.

Catolicismo - Fé e congregação

De acordo com o padre Pedro Cabello, reitor do Santuário Mãe Rainha em Olinda, o surgimento da Igreja Católica remonta ao tempo dos apóstolos. “O catolicismo historicamente falando tem suas raízes na encarnação do filho de Deus, Jesus. Ele veio para trazer a mensagem de Deus, revelar o rosto do pai. Ele mesmo quando se torna adulto [...] junta apóstolos e discípulos. Acreditamos que essa é a estaca zero da Igreja Católica e Cristã”, afirma ele. O pensamento católico, assim como o cristão, baseia-se na conversão aos ensinamentos de Jesus Cristo a fim de que se obtenha a salvação. Demais divindades, como Maria, a mãe de Jesus, e os apóstolos de Cristo, têm seu papel nesse caminho de fé.
 
A história do início da Igreja Católica, como você pode ter notado, mistura-se com o percurso do chamado cristianismo primitivo, aquele imediatamente posterior à ascensão de Jesus ao céu. No entanto, um marco temporal é de extrema importância na trajetória do Catolicismo, o Grande Cisma, ocorrido em 1054 d.C.. Como o nome já remete, foi nessa ocasião em que a Igreja foi divida entre Igreja Católica Apostólica Romana, ou Ocidental, e a Igreja Católica Apostólica Ortodoxa. A instituição cristã que conhecemos hoje sob a condução do Papa Francisco é a do ocidente.  

Protestantismo - Reforma e diferentes formas de doutrina

Foi no século XVI que o monge Martinho Lutero, com suas 95 teses, deu início a Reforma Protestante, movimento de desvinculação com pontos da doutrina católica ocidental. Nesse período outros reformadores ficaram famosos, como João Calvino, Jacob Armínio e Ulrico Zuínglio. O objetivo deles era fazer com que o cristianismo se voltasse para as Cinco Solas, traduzidas em: só a fé; somente a Escritura, somente Cristo; somente a graça e somente Deus. Ou seja, a salvação só seria alcançada a partir desses cinco itens, não dependendo das obras ou das indulgências como vinha sendo pregado.
 
Hoje, o Protestantismo está subdividido em pelo menos três grupos, são eles: as Igrejas Tradicionais, as Igrejas Pentecostais e as igrejas consideradas Neopentecostais. “Esse tipo de classificação é mais recente, é [...] quase que sociológica, [...] Você tem aquela ramificação que é chamada de tradicional, mas que o termo correto seria histórica. As denominações históricas seriam as que vieram da reforma protestante”, explicita Elcias Martins, pastor da Igreja Batista do Barro. Nesse grupo estão as denominadas Batistas, Presbiterianas, Anglicanas, Luteranas e Metodistas. Um exemplo de Igreja Pentecostal, que deriva do movimento Pentecostal da segunda metade do século XX, é a Igreja Assembléia de Deus. No grupo das consideradas Neopentecostais está a Igreja Universal.
 
Ficou curioso em relação a história de alguma religião? Conte nos comentários!

Comentários