Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias › Opinião


Eleições: palanque armado, olhos atentos

Janguiê Diniz - Fundador e Controlador do grupo Ser Educacional - Presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo
Assessoria de Comunicação Por: 26/10/2020 - 10:10 - Atualizado em: 29/10/2020 - 10:18
A cada dois anos, todo o processo se repete: alianças entre partidos, candidatos lançados, propaganda, corpo a corpo, promessas, esperanças. O período eleitoral, por vezes, transforma o Brasil em praça de guerra. Ideologias que se chocam, sem construir uma perspectiva de futuro sólida. Ainda mais este ano, em que a pandemia alterou toda nossa vida, é preciso estar atento ao que os postulantes a cargos públicos defendem e “prometem”.
 
Em 2020, temos um tempo de campanha eleitoral reduzido e bastante atípico, devido às necessidades advindas da pandemia. Teremos eleições municipais, para prefeitos e vereadores. Muitos consideram esta uma eleição “menor”, mas há que se ter consciência que estes são os cargos mais diretamente ligados à realidade de cada um dos 5.570 municípios brasileiros. Como tal, são os responsáveis por prezar pelas necessidades dos cidadãos de forma mais específica, conhecendo os diversos bairros, periferias, problemas de cada cidade. Assim, é importante eleger bons e confiáveis representantes, comprometidos com o bem-estar dos cidadãos e o desenvolvimento da sociedade em que estão inseridos.
 
Para fazer esta escolha da forma mais acertada, é preciso conhecer os candidatos, investigar mesmo suas vidas, passados, posicionamentos, etc. A internet está aí para ajudar nessa tarefa, deixando tudo na palma da mão, a poucos cliques. É essencial buscar o maior número de informações possível antes de cravar o voto, sem necessariamente se apegar a ideologias partidárias, nem cair nas falácias de sempre. Emissoras de TV e rádio já começaram a realizar os debates, presenciais ou virtuais; acompanhar esses eventos é oportunidade de decidir a quem dar seu voto, eliminar dúvidas, escutar melhor as propostas da própria boca do postulante e ver como ele se comporta diante do contraditório.
 
Eleger alguém é decidir o próprio futuro, o futuro da sua cidade e do seu país. Nessa hora, consciência é a palavra de ordem. Portanto, nos próximos dias 15 e 29 de novembro (1º e 2º turnos), quando estiver diante da urna, vote em quem tem as melhores propostas para a sua cidade, e não reeleja os velhos “caciques” da política que se mantêm no poder às nossas custas sem promover reais melhorias em nossas cidades. Somos nós que decidimos o rumo que o Brasil via tomar.
 

Comentários