Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias › Educação


Dietas muito restritivas podem trazer mais riscos que benefícios

É preciso ter cuidado para não acabar prejudicando a saúde em busca de um “corpo perfeito”. Refeições equilibradas ajudam na perda e manutenção do peso.
Marcele Lima Por: 01/02/2019 - 14:55
Dietas muito restritivas podem trazer mais riscos que benefícios/Pixabay
Dietas muito restritivas podem trazer mais riscos que benefícios/Pixabay

O verão traz o calor e até mesmo a vontade de usar roupas mais curtas, confortáveis e aproveitar o sol para refrescar-se. Junto com isso, porém, surge em alguns a vontade de perder aqueles 2 quilinhos. Como, na maioria das vezes, os exercícios físicos costumam ter efeitos a longo prazo, as pessoas optam por aderir à dietas da moda, que prometem resultados rápidos em curto tempo.

Algumas dietas prometem eliminar cinco quilos por semana. Outras, se se restringem ao consumo de algum tipo de alimento, como proteínas ou até mesmo só sopas e líquidos. A retirada de nutrientes importantes para o corpo pode prejudicar o organismo, causar problemas de saúde e ainda apresentar um resultado posterior diferente do esperado.

“Essas dietas não são aprovadas pela nutrição. Na nutrição trabalhamos a reeducação alimentar e o planejamento adequado para que a pessoa tenha prazer pelo alimento e não o torne uma obrigação. Todas as dietas restritivas têm reflexo grave na saúde dos indivíduos”, explica o professor de Nutrição da Universidade da Amazônia (Unama) Bruno Morais.

Um dos efeitos indesejados das dietas da moda é o efeito sanfona. Muitos artistas são responsáveis por divulgar tais métodos “milagrosos” de perda de peso, mas eles mesmos acabam tornando-se “vítimas” expostas dos resultados nada positivos. A cantora Mariah Carey é um exemplo. Seu nome em site de buscas na internet vem acompanhado de notícias sobre sua a nova dieta. Circulam fotos de antes e depois da diva pop em anos diferentes, sempre associadas a regimes em que precisam excluir alimentos e privilegiar outros.

Saúde em risco

De acordo com especialistas, as práticas restritivas para se perder peso podem ser muito perigosas para saúde. A dieta do carboidrato, por exemplo, pode elevar as chances dos indivíduos desenvolveram doenças cardiovasculares e diabetes. Na ausência desse nutriente, o corpo utiliza as proteínas como fonte de energia e um percentual de gordura, promovendo efeitos colaterais que vão desde mau hálito, fraqueza e até perda de memória.

Outras em que se evita frutas e legumes, podem causar estresse, mau humor e prisão de ventre, além de diminuir a imunidade, porque geralmente esses alimentos são fontes constantes de vitaminas, fibras e sais minerais.

O caminho correto de quem quer entrar no verão com corpo do jeito que quer, mas de forma saudável, é planejar uma rotina de exercícios físicos, seja em casa, a caminhada na rua ou no parque, e associar a uma reeducação alimentar.

O nutricionista Bruno Morais, que também é mestre em ciência e tecnologia de alimentos dá algumas dicas para emagrecer com saúde no verão:

Dieta equilibrada: elas são consideradas o primeiro passo para quem quer perder peso. Na lista, alimentos que contenham os nutrientes essenciais ricos em carboidratos, fibras e proteínas são importantes.

Hidratação: consumir muita água durante a exposição ao sol é importante. Água de coco, sucos e isotônicos também são bem vindos.

Repor vitaminas: como o sol pode diminuir a resistência das pessoas, o consumo de frutas é imprescindível para a reposição de vitamina C e alguns minerais fundamentais no fortalecimento do sistema imunológico.

Conheça os seus alimentos: comidas leves como sanduíche natural, iogurtes, cookies integrais são boas opções de se levar à praia para evitar comer alimentos sem procedência durante o verão.

Comentários