Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias › Educação


Descubra os riscos e cuidados do clareamento dental

Especialista conta quais os cuidados que você precisa ter antes de fazer o procedimento
Por: Katarina Bandeira 25/10/2018 - 11:49
Procedimento estético não pode ser feito em todas as pessoas. Foto: Freepik
Procedimento estético não pode ser feito em todas as pessoas. Foto: Freepik

O brasileiro é um dos povos mais vaidosos do mundo, principalmente no que diz respeito à aparência física. Os cuidados com a estética passam pelos cabelos, corpo e até barba, sem que nenhum fio saia do lugar. Para completar o time, o sorriso, cartão de visitas de muita gente, fica entre um dos mais procurados na hora de dar aquele grau no visual. Buscando dentes brancos e saudáveis, muita gente recorre ao clareamento dental, medida estética corretiva que trata as pigmentações dentárias. Se você está pensando em realizar o procedimento, a dentista Carlla Lyra explica direitinho o que é e como é feita a técnica. Confira!


Clareia, meu amor, clareia

De acordo com Carlla o clareamento dental é “um procedimento não-invasivo capaz de devolver a harmonia de cor em dentes sem tratamento endodôntico, vulto “canal”  e desvitalizados (com tratamento endodôntico) ou eliminar eventuais manchas”. O benefício dele é puramente estético e existem três formas distintas para realizá-lo.

Em casa ou no consultório?

É possível fazer o branqueamento dos dentes tanto em casa quanto no consultório do profissional. Na segurança do lar o paciente utiliza agentes clareadores  em moldeiras confeccionadas de forma individualizada. Apesar disso, a dentista aconselha o acompanhamento do profissional. “o paciente deve seguir as recomendações do cirurgião-dentista e fazer visitas regulares para acompanhamento e controle dos resultados”, afirma.

A segunda técnica é realizada em consultório também com a utilização de agentes clareadores. “Por  fim, existe a técnica “combinada”, que associa os dois tipos de técnicas e apresenta resultados em menor intervalo de tempo. Cabe ao profissional indicar a melhor técnica para cada caso”, explica, Carlla.

Possíveis causas

Apesar de não existir nenhum cuidado que antecede o procedimento, a dentista afirma que cabe ao profissional, junto ao paciente, investigar quais fatores podem ter levado ao escurecimento dos dentes. “ Esses fatores podem ser ligados ao tabagismo, medicamentos, acúmulo de placa bacteriana, e principalmente a ingestão de alimentos e bebidas que contenham corantes como refrigerantes à base de cola, café, vinho tinto e chá preto”, conta, Carlla, mas ressalta que há também fatores intrínsecos como doenças sistêmicas, alterações na formação do dente, trauma dental, necrose pulpar e o próprio processo de envelhecimento dental.

Não é para todo mundo

Apesar de ser um procedimento estético nem todo mundo pode realizá-lo e é preciso fazer avaliação clínica antes de começar o tratamento. “Grávidas e lactantes, pessoas com menos de 15 anos (com formação do esmalte ainda não concluída) e pessoas com grande sensibilidade devido a muitas retrações não são as mais indicadas para realizar o clareamento”, explica a dentista. Ela salienta que, para realizar a técnica, o estado de saúde bucal do paciente deve estar sem a presença de cáries, tártaros ou lesões de mucosa. “Grande parte dos riscos relacionados ao procedimento estão relacionados à sensibilidade dental e lesões na gengiva” diz.

Carlla também alerta que o contato dos produtos com a gengiva, por um determinado período, podem provocar queimadura localizada ou úlcera. “Tal problema é causado porque as substâncias clareadoras são cáusticas quando em contato  com a mucosa”. Entre os outros efeitos indesejáveis estão a inflamação da parte interna do dente (pulpar), sensibilidade gástrica, alterações do pH dental, desmineralização e aumento das rachaduras do esmalte.

Cuidados após o procedimento

O cuidado também não acaba após a realização do procedimento. “A comunidade científica tem atentado bastante para os efeitos alimentares após a realização do clareamento. Hoje, os cirurgiões dentistas preferem orientar os pacientes para evitar alguns alimentos, porém, pesquisas estão sendo desenvolvidas para confirmar o real efeito da dieta no resultado do procedimento”, diz a dentista.

Entre as práticas que devem ser evitadas estão a ingestão de alimentos e bebidas ricas em corantes, como café, refrigerante a base de cola, molhos vermelhos, vinho tinto, chocolate, chá, beterraba e açaí. “Durante o período de realização do clareamento também é preciso esperar uma semana entre cada sessão e recomenda-se que sejam realizadas, no máximo, quatro”, aconselha. Caso, ao final das sessões, você acredite que ainda não está com o sorriso de modelo de creme dental e queira realizar a técnica novamente, a profissional sugere uma nova análise. “O dentista vai avaliar suas queixas clínicas e definir em que período devem ser repetidas as sessões”, finaliza.

 

Ficou encantando com o assunto? Inscreva-se em nosso curso de Odontologia!

 

Comentários