Clicky

Selecione a cidade
0800 281 9999

Notícias › Carreiras


Declaração do IRPF pode ser enviado a partir do dia 1º

Coordenador da UNINASSAU de João Pessoa explica o que é preciso fazer
Assessoria de Imprensa Por: 28/02/2018 - 08:43
Declaração do IRPF pode ser enviado a partir do dia 1º
Chegou a hora de acertar as contas com o leão
Por Vanessa Braz
 
Chegou a hora de acertar as contas com o leão e é nesse momento que muitas dúvidas aparecem sobre como e quando declarar o Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). Para esclarecer essas dúvidas, o coordenador de Pós-graduação em Gestão Tributária da Faculdade UNINASSAU João Pessoa, Wellington Barbosa, explica as principais mudanças na declaração deste ano, assim como, a importância do contribuinte não deixar tudo para a última hora.
 
De acordo com Wellington, o preenchimento da declaração do IRPF começou na última segunda-feira (26), mas só a partir do dia 1 de março é que ela poderá ser enviada para a Receita Federal. “Apenas os contribuintes que receberam no ano de 2017, rendimentos tributáveis superiores a R$28.559,70 é que são obrigados a declararem o IRPF, assim como trabalhadores rurais com rendimentos superiores a R$128,398,59”, ressaltou.
 
Além desses critérios, o coordenador explica que contribuintes que obtiveram rendimentos não tributáveis acima de 40 mil reais, que investiram no mercado de capitais ou similares e bolsa de valores, com imóveis ou terrenos acima de R$300 mil e aqueles que optaram pela isenção de imposto de renda sobre o valor da venda de imóveis, desde que esse seja usado para a compra de outro imóvel em território nacional no prazo de 180 dias, também precisam fazer a declaração. Vale lembrar que o prazo para o envio da declaração termina no dia 30 de abril.
 
Este ano os dependentes a partir dos 8 anos de idade precisam ter CPF incluso na Declaração. Até o ano passado essa obrigatoriedade era apenas para dependentes com 12 anos ou mais. “Caso a criança não tenha CPF, o contribuinte deverá providenciar. O procedimento é bastante simples e gratuito. No site da Receita Federal, nas agências do Banco do Brasil, Caixa Econômica ou pelos Correios é possível fazer o procedimento”, disse Wellington Barbosa.
Os principais documentos:
 
 
Os informes de rendimentos referente a salários, aposentadorias e pensões.
Rendimentos em bancos, através de operações financeiras.
Rendimento por meio de aluguéis e doações.
Para os autônomos – informar o livro caixa, que é o livro onde são registrados mensalmente e em ordem cronológica, as receitas e despesas relativas ao trabalho não-assalariado.
Documentos que comprovem aquisição e a venda de bens e direitos ocorridas em 2017.
No caso de aquisição via financiamento, informar a dívida também.
Recibos ou notas fiscais de gastos com Saúde.
Notas fiscais de gastos com educação.
 
Dados que podem abater do imposto cobrado:
Dependentes (com o valor máximo é de R$ 2.275,08 por dependente)
Educação (com limite máximo de R$ R$ 3.561,50 por dependente)
Despesas médicas (ilimitada)
Previdência privada
Contribuição patronal da Previdência Social incidente sobre a remuneração do empregado (limite de R$ 1.093,77)
Pagamento de pensão alimentícia (integralmente)
Doações (com limite de até 6% do imposto devido)
 

Comentários