Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias › Educação


Conheça 5 quadrinhos brasileiros para ler nas férias

Com o mercado cada vez mais aquecido, quadrinhos HQs impressionam pela riqueza das narrativas
Por: Katarina Bandeira 22/01/2018 - 11:13
Mercado de HQs brasileiro vem crescendo e fornecendo ótimas surpresas para quem é fã do gênero. Foto: Reprodução
Mercado de HQs brasileiro vem crescendo e fornecendo ótimas surpresas para quem é fã do gênero. Foto: Reprodução
Galeria: 
Bear, de Bianca Pinheiro (2014)Castanha do Pará, de Gidalti Júnior (2016)Angola Janga, de Marcelo D'Salete (2017)Gata Garota, de Fefê Torquato (2015)Quadrinhos dos anos 10, de André Dahmer (2016)

É bem possível que você, em algum momento da sua vida, já tenha parado para ler uma história em quadrinhos. As revistinhas coloridas, com personagens que vão desde super-heróis até crianças em grandes aventuras, encantam gerações há décadas, ilustrando de diferentes maneiras a imaginação tanto de quem cria quanto de quem lê. Mesmo que ao entrar em uma banca de revistas uma boa parte  dos títulos ainda seja de autores estrangeiros, o mercado de HQs brasileiro vem crescendo e fornecendo ótimas surpresas para quem procura consumir os seus produtos. Se você curiosidade sobre o tema confira a lista que preparamos e ingresse nesse universo de ótimas ilustrações e excelentes narrativas:

Angola Janga, de Marcelo D'Salete (2017)

Pequenas histórias relacionadas ao Quilombo dos Palmares. Em Angola Janga, as narrativas são contadas tendo como cenário Pernambuco, no fim do século XVI. O autor fez uma rica pesquisa a respeito dos quilombolas e conta a história dessa rebelião que tornou-se nação, e é símbolo da luta contra o racismo, no Brasil. Um romance histórico, com batalhas, que fala de Zumbi, entre outros personagens como Domingos Jorge Velho, Ganga Zumba, Ganga Zona, entre outros.

Quadrinhos dos anos 10, de André Dahmer (2016)

Irônico, às vezes pessimista e muitas vezes real, os Quadrinhos dos anos 10 aborda com um toque de humor negro diversas situações e comportamentos da nossa geração. Autor da série de quadrinhos Malvados, Dahmer retrata contradições sociais, a nossa relação com as tecnologias atuais, entre outros dilemas da vida não tão moderna.

Bear, de Bianca Pinheiro (2014)

Para  quem procura algo mais leve para ler, Bear começou como uma webcomic e hoje sai em versões encadernadas pela editora Nemo. Cheia de referências pop, conta a história de uma menina que se perde dos pais e vai para um mundo estranho. Ela encontra um urso amarelo (ou alaranjado) e segue a jornada junto a ele.

Gata Garota, de Fefê Torquato (2015)

Metade mulher, metade gato. Como os felinos Gigi passa metade do seu tempo dormindo e a outra metade comendo, com vários momentos de tédio, como qualquer felino. Ela descende de uma família de gatos-gente, únicos de sua espécie. A personagem é retratada tal qual o animal, fascinante, com seu pelo macio e um olhar penetrante de desdém. Vale a pena conferir como ela usa as característica felinas para lidar com eventos do cotidiano, seu namorado Danilo e sua família.

Castanha do Pará, de Gidalti Júnior (2016)

Vencedor da primeira edição do prêmio Jabuti, na categoria quadrinhos,  a HQ conta, em forma de fábula, a história de Castanha, um menino-urubu que vive aventuras pelo mercado público Ver-o-Peso, em Belém. Ele retrata problemas sociais uma vez que o garoto mora na rua e sobrevive dos furtos e das migalhas de atenção que sobram do mundo ao seu redor. Com diálogos poderosos e situações que impressionam e fazem refletir, a obra mergulha na realidade de uma criança abandonada, com belíssimas ilustrações.

 

Conta para a gente nos comentários quais os outros títulos que você conhece e indica e aproveite para conhecer nosso curso de Design!

 

Comentários